sexta-feira, 23 de junho de 2017

O que você nunca deve falar quando contratar seu seguro

Contratar uma apólice de seguro pode ser uma tarefa um tanto quanto burocrática e quase investigativa. Durante o processo são tantas as perguntas e informações que você precisa passar que não é raro nos sentirmos em uma verdadeira entrevista.

Todas estas informações são importantes e necessárias para calcular o o preço final do seu seguro, sendo que algumas delas interferem substancialmente no preço.

Para você não cair em cilada, o Pra Que Seguro preparou uma lista, não só das coisas que você NUNCA deve fazer quando está cotando seu seguro de automóvel, assim como das consequências dessas ações no futuro.

Mentir sobre o real condutor do veículo

Quem nunca ouviu as frases "faz o seguro no nome da sua mãe que fica mais barato" ou ainda, "ahh na hora que roubarem você diz que ela quem estava dirigindo"? Pois é, parece que estra prática tem se proliferado e as consequências são bem sérias.

Na contratação do seu seguro a seguradora não irá verificar a veracidade desta informação por dois motivos: ela acreditará no que foi informado, pois você assinará o perfil, e ela não tem como monitorar quem estará dirigindo o veículo. O grande problema é na hora de um roubo ou de uma colisão.

Pense nas seguintes situações: um roubo em frente a uma casa noturna, as duas horas da manhã. Quem será que estava dirigindo o veículo? Uma colisão em frente à faculdade que você estuda bem no horário de saída das aulas. Um furto em frente ao escritório que você trabalha. Em casos como este as seguradoras contratam peritos especializados que realizam uma verdadeira investigação e, constatado que a informação que você mencionou esta errada, irá, não só recusar indenizar seu veículo como cancelar sua apólice e restringir todo e qualquer seguro que você tentar contratar com ela no futuro. Em alguns casos poderá inclusive solicitar a abertura de um inquérito policial para investigar se houve fraude.

Será que vale a pena correr este risco?

Mentir sobre o uso do veículo

Quem usa o veículo somente de final de semana, tem um risco muito menor que quem o usa diariamente, é justo que cada um pague o seguro pela probabilidade de uso da apólice. Não caia naquele papo do seu vizinho de informar para o seu corretor que você não vai trabalhar de carro, ou que na sua empresa tem estacionamento quando não tem


As seguradoras realmente não conseguem investigar caso a caso e muitos fraudadores se vangloriam de ter pago menos no seguro e mesmo assim ter recebido a indenização. Mas esse cerco está se fechando, as análises estão ficando cada vez melhores e já existem casos de seguradoras que usaram inclusive redes sociais para negar indenizações.

Explique corretamente o uso do seu veículo para seu corretor, não caia em armadilhas que podem te causar um enorme prejuízo.

Omitir do seu corretor o real motivo de não contratar o seguro com ele

Essa atitude é muito comum e poucos percebem os prejuízos que ela pode causar. Frequentemente, corretor e cliente acabam se tornando amigos e isso torna um pouco difícil quando o cliente precisa deixar de contratar a apólice com este corretor.

Seguro é um contrato e, como consumidor, o cliente tem o direito de escolher onde irá fazê-lo. Quando o cliente encontra uma proposta aparentemente melhor que a do seu corretor ele acaba inventando desculpas como: não irei renovar este ano, vendi o carro, entre outras.

Ocorre que, o corretor que não tem informação correta não pode agir a favor do seu amigo cliente. Sabendo, por exemplo, que o real motivo é financeiro, o corretor pode estender suas buscas por um preço mais econômico ou pode retirar algumas coberturas que, mesmo importantes, podem ser cortadas naquele momento, melhorando o custo do seguro e mantendo o cliente protegido.

Outra situação que pode gerar um constrangimento é quando o cliente consegue uma proposta melhor por outro corretor e não quer abrir o jogo com seu corretor atual. Não tenha nenhum receio em procurar seu corretor e falar que tem uma proposta melhor. Existem sim corretores com condições diferenciadas nas seguradoras em que atuam e esta situação pode acontecer. Mas não é essa a situação mais preocupante

Existem muitas empresas se passando por seguradoras e o custo do que elas oferecem é infinitamente menor que o de um seguro, assim como a segurança que ela oferecem.

Aos olhos de um leigo um contrato dessas empresas pode parecer idêntico ao de um seguro mas um experiente corretor consegue identificar instantaneamente que aquele que você esta comprando não é um seguro e irá te deixar na mão na hora que você mais precisar.

Portanto, não se deixe cair em cilada, contratar um seguro é ter a segurança que seu patrimônio que foi tão difícil construir não irá escorrer entre seus dedos quando você menos esperar.

Seguro é coisa séria e deve ser tratado como tal, sempre abra o jogo com seu corretor de seguro ele é o único profissional habilitado e preparado para proteger você, seu patrimônio e sua família!

Nenhum comentário :

Postar um comentário