quinta-feira, 30 de junho de 2016

Até breve, pai...


Por ser ainda um jovem no mercado de seguros, tive o prazer de conhecer e de ser "adotado" por grandes mestres do nosso ramo, mas certamente umas das maiores honras que pude ter na minha vida foi ser chamado de filho pelo mestre Plínio Rizzi. Com seu incondicional sorriso e sua tradicional gravata borboleta, Plínio nos ensinou que, mesmo com todas os infortúnios, devemos enfrentar a vida com a alegria e o entusiasmo de uma criança.

Nos ensinou que a busca pelo conhecimento deve ser constante e profunda e que não devemos nos contentar com respostas vagas e superficiais. Que devemos tratar a todos exatamente da mesma maneira e sempre com muito entusiasmo. 


Quem já ouviu alguma palestra do nosso querido professor sabe que sua didática e simpatia prendia seus ouvintes por horas a fio sem se cansarem. Era um prazer ouvir as aulas de Plínio, seja sobre e mercado de seguros, direito ou até sobre a história alemã.

Plínio foi um ser humano especial que não merecia nosso mundo, que estava acima da nossa evolução espiritual e que nos brindou com lições que nunca esqueceremos.

Obrigado pelas lições e até breve, pai. 

Nenhum comentário :

Postar um comentário